Teste Farmacogenético para auxiliar no tratamento de depressão, transtornos de humor, TDAH, dor crônica e outros.

Os transtornos mentais acometem, em algum momento da vida, ao menos 20% da população mundial. Conhecer o perfil genético do paciente auxilia o médico a compreender como as medicações vão ser metabolizadas por aquela pessoa, aumentando as chances de êxito na prescrição dos medicamentos e, consequentemente, redução dos efeitos colaterais e melhora dos sintomas.

A diferença entre o remédio certo, que resolve o problema, e o remédio errado, que não faz nenhum efeito, pode ser o seu DNA.  “O que acontece hoje é que, quando se tem um paciente com depressão, você toma a decisão a respeito de que remédio vai prescrever baseado em uma série de fatores que não necessariamente são muito objetivos. É um processo de tentativas e erros. Por isso, muitas vezes, o tratamento não funciona ou causa efeitos colaterais”, afirma Dr. Quevedo.

 

De acordo com o psiquiatra, através do exame Farmacogenético é feita uma avaliação do DNA do paciente, sendo possível identificar qual paciente tem uma chance maior de responder a algumas medicações ou ter efeitos colaterais. “Ou seja, torna o processo de escolha do antidepressivo mais objetiva”, explica o diretor do INJQ.

Dúvidas quanto ao exame, ligue 0800-006-2307

Para quem o exame é indicado?

O Teste Farmacogenético é dirigido para todas as pessoas em tratamento com medicamentos que apresentam ineficácia e/ou efeitos colaterais e para aquelas que vão iniciar um tratamento para:

  • Depressão

  • TDAH

  • Transtorno Bipolar

  • Transtornos de Ansiedade

  • Síndrome do Pânico

  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático

  • Esquizofrenia 

  • Insônia 

  • Dor Crônica 

  • Alzheimer 

  • Parkinson 

  • Depressão pós-parto 

 

O Teste Farmacogenético para SNC analisa genes que interferem no metabolismo, resposta e toxidade dos medicamentos, informando como eles vão se comportar no seu organismo.