Blog do InJQ

Buscar
  • Dr.ª Kelen Cancellier Cechinel Recco

Evento Traumático: como o nosso corpo e mente reagem, e as consequências que essa memória pode deixa


Frente à comoção mundial dessa semana, como reagirão emocionalmente de agora em diante os sobreviventes, familiares e as pessoas que estiveram envolvidas no desastre aéreo que levava a delegação da Chapecoense e jornalistas para a final da copa Sul Americana?

A nossa vida é rodeada de riscos: estima-se que 9 entre 10 pessoas passarão por, pelo menos, um evento potencialmente traumático ao longo da vida. Os traumas são situações decorrentes de eventos que geralmente envolvem algum tipo de risco, real ou imaginário, à vida ou à integridade física de alguém. Os principais eventos traumáticos se referem à violência (assaltos, sequestros, acidentes e abuso sexual) e catástrofes naturais (enchentes, terremotos, etc.). Os desastres podem ser definidos como acontecimentos imprevistos e repentinos, que causam grandes danos, destruição e sofrimento humano , como na tragédia dessa semana. Não é preciso vivê-las ativamente: ver uma situação dessa natureza, ou ter um familiar envolvido em um evento dessa magnitude, pode ser o suficiente para desencadear uma reação traumática. Superar a situação adversa ou ficar marcado por ela é o limiar entre uma situação de estresse e o trauma, que está na raiz de diversos transtornos psicológicos.

Durante a exposição a esse tipo de situação, é natural que o indivíduo apresente reações interpretadas como negativas. Tais respostas fazem parte de um sistema de autopreservação que auxilia o indivíduo quando em situação de perigo. Nos primeiros dias, o sujeito tende a apresentar diversos sintomas, que podem ser de ordem física e emocional como: insônia, tensão muscular, sobressaltos, taquicardia, raiva, medo, desesperança e culpa.

Mesmo apresentando as reações iniciais esperadas, cerca de 30% das pessoas não se recuperam, nem sequer muitos meses após o ocorrido. A persistência de sintomas como esses configura o trauma e há o risco de desenvolvimento de transtornos mentais, como abuso de álcool e drogas, depressão e ansiedade. O distúrbio que mais preocupa é o transtorno do estresse pós-traumático (TEPT). Pessoas que sobrevivem a desastres ou perdem um ente querido de forma abrupta e violenta, são as mais propensas a sofrer deste mal.

Não se espera que todas as vítimas desenvolvam transtornos mentais, porém se sabe que as pessoas afetadas irão vivenciar diferentes reações agudas que podem causar sintomas suficientes que justifique a necessidade de apoio. O objetivo das intervenções é aumentar o percentual de sujeitos que se recuperam da tragédia e acelerar o processo de recuperação.

KELEN CANCELLIER CECHINEL RECCO

PSIQUIATRA

CRM/SC 13394

RQE: 10277

Referência de apoio: Silva TLG, et al. Primeiros Socorros Psicológicos: relato de intervenção em crise em Santa Maria. Rev. bras. psicoter. 2013;15(1):93-104

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708