Blog do InJQ

Buscar
  • Equipe InJQ

Blue Whale - Roleta Russa da Era Digital?


Nas últimas semanas uma série de reportagens sobre o tema, além de uma enxurrada de postagens e compartilhamentos nas redes sociais, têm causado um misto de preocupação e perplexidade nos brasileiros. O “jogo” que tem feito muitos adeptos na Rússia, chamado de “Blue Whale” (Balei Azul), teria sido responsável por mais de cem mortes em jovens russos. Todos vítimas do ato final da mórbida “brincadeira”, o suicídio.

Em grupos restritos da internet, usuários anônimos enviam uma lista de 50 tarefas que o “participante” precisa realizar, dentre elas acordar às 4h20 da manhã e assistir a um filme de terror, esculpir uma baleia na perna com uma lâmina, não falar com ninguém por um dia, subir no topo de um prédio e balançar as pernas, etc. O último “desafio”, o suicídio, seria a libertação das preocupações mundanas, ser livre como o símbolo do “jogo”, a Baleia Azul.

Segundo jornalistas russos, a prática teria sido causa de mais de uma centena de suicídios, números não confirmados oficialmente pelas autoridades russas. Apesar de já existir pelo menos desde 2015 na Rússia, o assunto tem tomado maior destaque na mídia internacional devido ao possível “contágio” para outros países.

Segundo a OMS, dados publicados em 2015 colocavam o suicídio como a segunda maior causa de mortalidade entre jovens no mundo, ultrapassando o HIV e ficando atrás apenas das mortes do trânsito. No Brasil, os relatórios apontam para um crescimento do número de suicídios entre os jovens. A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) ressalta que mais de 90% dos suicídios são ligados a um distúrbio psiquiátrico de base, ou seja, com identificação precoce e tratamento adequado, é uma causa de morte evitável.

Falas sobre morte, desaparecer ou provocar em si mesmo algum dano físico, podem ser sinais de pensamentos suicidas. Além disso, acontecimentos trágicos, perda do trabalho e rompimento de relacionamentos, são causas de importante sofrimento psíquico e pode servir de gatilho para pensamentos de morte. Aproximar-se de alguém que demonstra estar sofrendo e ouvi-lo é uma boa maneira de ajudá-lo. Caso essa pessoa apresente pensamentos de morte ou ideias de suicídio, é te extrema importância que haja o acompanhamento de um profissional qualificado. Essa atitude é fundamental para a restabelecer o equilíbrio emocional e preservar a vida de quem enfrenta essa difícil situação.

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18994

Médico Psiquiátra - RQE 14708

rafael.arceno@injq.com.br

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708