Blog do InJQ

Buscar
  • Equipe InJQ

Transtorno bipolar em adultos


O transtorno bipolar é uma condição psiquiátrica relativamente frequente, com prevalência entre 1% e 2% da população geral. Os sintomas podem aparecer em qualquer idade, sendo mais comuns entre o início da segunda e meio da terceira década de vida.

Sua evolução é caracterizada pelas altas taxas de suicídio e pelo prejuízo no desempenho das funções do dia-a-dia. Apresenta uma rápida alternância de humor com predomínio de sintomas depressivos, porém, é necessário a ocorrência de pelo menos um episódio maníaco, hipomaníaco ou misto para diagnosticar o transtorno bipolar. Seu diagnóstico baseia-se em entrevistas com o paciente e a família. Episódios de mania e depressão podem resultar em psicose, doença em que há perda de contato com a realidade.

Vários eventos podem levar a essa patologia, mas os mecanismos exatos ainda são desconhecidos. Podem contribuir para o desenvolvimento do transtorno bipolar o histórico familiar, estresse intenso, uso e abuso de drogas recreativas e/ou álcool, mudanças de vida e experiências traumáticas. Homens e mulheres possuem as mesmas chances de desenvolver a doença.

Os episódios distintos de humor em diferentes fases, tornam o diagnóstico difícil de ser realizado, sendo o transtorno depressivo maior unipolar o erro diagnóstico mais frequente. Por isso, faz-se necessária uma observação rígida dos sintomas que se intercalam dificultando o diagnóstico.

No transtorno bipolar clássico sem tratamento, cada fase dura, em geral, de três a seis meses, depois existe uma fase de normalidade que é variável e posteriormente uma fase de euforia que também pode durar de três a seis meses. Com tratamento adequado estes períodos podem ser abreviados.

Este transtorno requer um plano de manejo individualizado com estratégias de curto, médio e longo prazo, que incluem medicamento(s) de manutenção, terapias psicossociais adjuvantes e monitoramento rigoroso de quaisquer complicações emergentes. O acompanhamento médico deverá ser constante.

É importante salientar que humor linear, totalmente equilibrado (eutímico) é algo que basicamente ninguém tem. Todos apresentamos oscilações em nosso estado de humor devido fatores externos e até a fatores de ordem interna (como a TPM nas mulheres). Entretanto estas oscilações não configuram necessariamente um quadro de bipolaridade. Não raro podemos acordar bem, e ao final da tarde estarmos de mau humor. Essa oscilação ao longo de um dia não é transtorno bipolar.

Prof. Dr. Gustavo Feier CRM/SC 14317

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708