Blog do InJQ

Buscar
  • Equipe InJQ

Doenças mentais e suicídio: conhecendo para prevenir


Falar em algo que não queremos que aconteça nem de longe é agradável, muito melhor seria se pudéssemos ignorar as situações que não queremos enfrentar e elas simplesmente deixassem de existir.

Mas nossos problemas não se resolvem dessa forma, pelo contrário, geralmente quando maior nosso conhecimento a respeito de uma situação maior será nossa capacidade de enfrentamento.

Com o suicídio isso não é diferente: quanto mais soubermos sobre o tema, maior nossa força para lutar contra essa dolorosa realidade. Reconhecer os fatores de risco é de fundamental importância para auxiliar nesse processo. Não é preciso ser profissional da saúde para perceber o sofrimento do outro, e a partir disso intervir em situações que poderiam ocasionar um desfecho grave.

As doenças mentais aparecem como responsáveis pela grande maioria das causas de tentativas e suicidios. Os transtornos como os depressivos, de humor bipolar e esquizofrenia podem ocasionar essas situações. Além de outras doenças psiquiátricas, como a dependência ao álcool e outras drogas, transtornos de ansiedade e de personalidade.

O tratamento adequado e correta intervenção em situações de risco são formas efetivas de evitar tanto o agravamento da patologia, como a tentativa de suicídio em si, situações que eventualmente andam de mãos dadas. É sabido que praticamente todos os pacientes que cometeram ou tentaram suicídio apresentavam uma doença mental, muitas vezes não diagnosticada ou não tratada corretamente. O auxilio de profissionais que atuam em saúde mental é de fundamental importância, uma vez que eles possuem um arsenal medicamentoso e psicoterápico que pode amparar o paciente e sua família nessa situação.

Logo, a intervenção nesse fator de risco tem uma clara resposta na diminuição das estatísticas. Manter-se atento as dificuldades, tanto suas como de familiares e amigos, percebendo mudanças no comportamento como atitudes negativistas, situações de exposição, modificação no humor, ansiedades e pensamentos ou verbalização de desesperança são sinais de alerta que precisamos respeitar.

As doenças mentais são passíveis de tratamento, da mesma forma que qualquer outra patologia. E se forem adequadamente tratadas, inclusive o suicídio pode ser evitado. Para isso é preciso olhar para nossas dificuldades e angústias. Quanto mais soubermos sobre o que realmente está acontecendo, maior será nosso poder de luta contra esse grave problema de saúde pública.

Você pode encontrar ajuda na rede pública nos Postos de Saúde, Serviços de Urgência, Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e no Centro de Valorização da Vida (CVV) pelo fone 144. Ou procurar ajuda na rede particular com profissional especializado.

Ritele Hernandez da Silva

Médica Psiquiatra

CRM/SC 11444 | RQE 11334

ritele.silva@injq.com.br

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708