Blog do InJQ

Buscar
  • Equipe InJQ

Transtorno delirante em idosos

Em geral, a idade de início do transtorno delirante é entre 40 e 55

anos, mas pode ocorrer em qualquer época durante o período do envelhecimento.

Os delírios podem assumir muitas formas; as mais comuns são

as persecutórias – os pacientes acreditam que estão sendo vigiados, perseguidos,

seguidos, envenenados ou assediados de alguma forma.

As pessoas com transtorno delirante podem se tornar violentas em relação aos

seus supostos perseguidores, podendo tornar-se irritadas, ficarem isoladas socialmente, apresentam perda de interesse e concentração, autonegligência por exemplo, dificuldade de cuidados com a higiene pessoal, e idéias obcessivas. Algumas se trancam em seus quartos e vivem vidas reclusas. Delírios somáticos, em que os indivíduos acreditam ter uma doença que pode levar a morte, também podem ocorrer em idosos.

A personalidade permanece intacta ou sofre comprometimento mínimo.

Alguns estudos mostram que 4% das pessoas com mais de 65 anos, apresentavam sintomas persecutórios. Entre aqueles que são vulneráveis, o transtorno delirante pode

ocorrer diante de estresse físico ou psicológico e pode ser precipitado

pela morte do cônjuge, perda do emprego, aposentadoria, isolamento social,

circunstâncias financeiras adversas, doença médica debilitante ou cirurgia, deficiência visual e surdez, doenças cerebrais, ser solteiro e história familiar.

Os delírios podem acompanhar outros transtornos – como demência do tipo Alzheimer, transtornos relacionados ao uso de álcool, esquizofrenia, transtornos depressivos e transtorno bipolar.

As síndromes delirantes também podem resultar de medicações prescritas ou ser os

primeiros sinais de um tumor cerebral. O prognóstico é de regular a bom na maioria dos casos.

Um transtorno delirante de início tardio denominado parafrenia é caracterizado por delírios persecutórios, que são idéas fixas de persequição.

O transtorno delirante se desenvolve durante vários anos e não está associado à demência.

Alguns autores acreditam que o transtorno é uma variante da esquizofrenia que

se manifesta pela primeira vez quando o individuo já é idoso.

Pacientes com história familiar de esquizofrenia apresentam uma taxa aumentada de parafrenia.

O transtorno delirante persistente é caracterizado pela presença de delírios, sem outros sintomas que levariam a um diagnóstico de esquizofrenia ou transtorno de humor. O tratamento baseia-se no uso de medicamentos, tratamento das comorbidades e psicoterapia.

José Aires Maggi Coelho

CRMSC-12189

jose.aires@injq.com.br

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708