Blog do InJQ

Buscar
  • Dr.ª Aline Vieira Scarlatelli Lima Bardini

Dor de cabeça: quais são os sinais de alarme?


Uma das queixas mais comum no consultório de um neurologista é a dor de cabeça. Grande parte da população já teve ou terá um episódio de dor de cabeça na vida. Porém, é importante que se saiba que nem todas as dores de cabeça são iguais e algumas merecem atenção especial por apresentarem o que chamamos de “sinal de alarme”.

Cefaleia (ou dor de cabeça em termos mais populares) refere-se a qualquer dor no segmento cefálico (cabeça) podendo ser no couro cabeludo, face ou pescoço. A cefaleia é um sintoma comum a diversas doenças podendo ser um sintoma de uma outra doença, o que chamamos de cefaleia secundária ou ser a própria doença, as chamadas cefaleias primárias.

Como exemplo das cefaleias secundárias temos: as cefaleias associadas a um tumor cerebral, meningite, processos infecciosos sistêmicos, aneurisma. Já nas cefaleias primárias temos como exemplo: as enxaquecas (migrâneas), as cefaleias tensionais, cefaleia em salvas dentre outras.

Como dito anteriormente, é fundamental o reconhecimento dos chamados “sinais de alarme” das cefaleias, pois, a presença desses sinais, deve alertar o médico a realizar uma investigação mais detalhada, muitas vezes incluindo exames de imagem ou outros exames para investigar a causa da cefaleia. São considerados “sinais de alarme”: cefaleia acompanhada de febre e rigidez de nuca, cefaleia que atinge sua intensidade máxima em menos de 1 min acompanhada ou não de perda breve da consciência, cefaleia que se inicia após os 50 anos, mudança no padrão preexistente da dor, cefaleia relacionada a tosse, esforço físico ou relação sexual e cefaleia acompanhada de início de distúrbios endócrinos ou hipertensão.

Diante da complexidade em que se consiste os quadros de dor de cabeça, é importante que se procure um médico para realizar a investigação e tratamentos corretos para cada tipo de dor de cabeça. É importante não ficar se auto medicando, não atribuir sempre a dor de cabeça à falta de óculos, pressão alta ou sinusite. Procure seu médico pois ele estará capacitado a realizar o tratamento para você.

Dra. ALINE VIEIRA SCARLATELLI LIMA BARDINI, Me.

CRM -SC 17013

Neurologia- (RQE: 8843) Neurofisiologia Clínica (RQE: 9831)

Medicina do Sono (RQE: 14928)

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708