Blog do InJQ

Buscar
  • Equipe InJQ

De volta à escola: defendendo a saúde de seu filho


Se você é pai ou mãe de uma criança com um problema de saúde significativo, essa época do ano significa mais do que apenas comprar uma nova mochila colorida.

A segurança e o sucesso de seu filho na escola é o resultado de seu planejamento cuidadoso e da formação de parcerias com a escola e os profissionais de saúde de seu filho.

A dica geral para os pais de uma criança com algum problema de saúde significativo, como diabetes, asma, epilepsia/convulsões, alergias alimentares ou Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), é visitar os professores e a enfermaria da escola antes do término do último ano letivo, ou no início do novo ano letivo.

Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH)

“Os alunos com TDAH precisam de todo apoio no início do ano letivo”, explica Jaime Lin (CRM/SC 1140 1) especialista em pediatria (RQE 8287) e especialista em Neurologia Pediátrica (RQE 8330) do Instituto de Neurociências do Dr. João Quevedo.

“Quando pais se reúnem com os professores da escola no final do ano letivo anterior, eles devem discutir o que a criança precisa”, diz ele. “Os pais hesitam em ter essa conversa porque não querem ser considerados agressivos. Em nossa experiência, os professores querem saber como ajudar cada criança a ter sucesso.”

Jaime diz que as seguintes dicas podem ajudar uma criança com TDAH:

  • Sugira um lugar mais tranquilo para seu filho sentar na sala de aula.

  • Faça a transição da rotina de férias (sono, tarefas, brincadeiras) para uma rotina escolar (sono, regras, tarefas) duas semanas antes começa as aulas.

  • Encoraje seu filho frequentemente (para eliminar o medo ou a ansiedade).

  • Crie um cronograma de atividades bem previsível na escola e em casa.

“Se um aluno precisar de adaptação, eu incentivo os pais a formalizar essa informação no Plano 504”, explica Jaime. “Há um equívoco dos pais de que não é bom registrar essa informação, mas esse não é o caso. Um ano, um professor pode não precisar de um plano escrito de adaptação e, no ano seguinte, ele pode precisar de informações por escrito. Se não houver um histórico de registros, um aluno pode não conseguir se adaptar facilmente no ensino fundamental ou no ensino médio.”

Se uma criança usa remédios para TDAH, um pai pode pensar que, como a criança se saiu bem em um ano, não há problema em começar um novo ano letivo sem a utilização de remédios. “Meu conselho é continuar o remédio durante as férias e depois revisitar o problema mais tarde. Queremos dar a esses alunos todas as vantagens quando começarem um novo ano escolar, seja envolvendo algum tipo de adaptação ou a utilização de medicamentos. Esses estudantes precisam de uma garantia e segurança de que vão conseguir estudar e ter resultado.”

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708