Blog do InJQ

Buscar
  • Dr.ª Amanda Bittencourt

Encefalite herpética


Infecções no sistema nervoso central causadas pelo vírus herpes simplex, a chamada encefalite herpética, estão entre as infecções mais devastadoras que existem. A encefalite por herpes simplex é a causa mais comum de encefalite esporádica fatal e é quase sempre ocasionada pelo vírus herpes simplex tipo 1. Sua incidência é de aproximadamente 1500 a 2000 casos por ano.

Seu quadro clínico é composto por alterações mentais e comportamentos bizarros, em uma pessoa previamente com comportamento adequado, associado à febre e a uma variedade de achados clínicos neurológicos, como fraqueza em um lado do corpo, alterações da linguagem (afasia), etc.

O vírus tem predileção pelo lobo temporal do cérebro, o que explica os sintomas clínicos em função da duração da doença. Geralmente ocorre como consequência da reativação do vírus herpes simplex, mas as verdadeiras questões da patogênese permanecem sem resposta.

Tão logo seja suspeitada dessa doença, intervenções diagnósticas e terapêuticas precisam ser iniciadas imediatamente. O exame do líquido da espinha (líquor) é de grande importância, pois estará alterado e nele pode ser detectado o DNA do vírus. Uma imagem do cérebro obtida através de ressonância magnética de crânio, geralmente mostrará alterações em um dos lobos temporais. O eletroencefalograma, exame que registra a atividade cerebral, também pode demonstrar sinais da doença.

O tratamento é realizado com o antiviral chamado aciclovir pela via endovenosa por um período de 14 a 21 dias. Controle neurológico rigoroso deve ser realizado, monitorando sinais de aumento da pressão intracraniana, a qual pode ocorrer em alguns casos.

Quanto mais jovem e melhor o nível de consciência na admissão hospitalar, melhor é o prognóstico. Cerca de 60% desses conseguem retornar as suas funções normais. Porém, se o nível de consciência estiver ruim no início do tratamento e quanto maior a idade, menor será essa probabilidade.

Desta forma, a suspeita pelos familiares diante de comportamentos inadequados, não habituais de uma determinada pessoa, geralmente associados à febre, deve levar a busca pelo hospital o mais rápido possível, bem como a suspeita pelos médicos que atendem inicialmente esse paciente, uma vez que podem ver apenas um ou dois casos por ano, deve levar a solicitação de uma avaliação neurológica urgente.

O tratamento deve ser instituído o mais rápido possível após a suspeita de encefalite herpética. O tempo é essencial para melhorar o prognóstico desses pacientes.

Dra. Amanda Bittencourt

CRM SC 19987

Médica neurologista - RQE 14929

amanda.bittencourt@injq.com.b

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708