Blog do InJQ

Buscar
  • Dr.ª Bárbara Sawitzki Jost

Uso de mídias na Infância


Estudos comprovam que a tecnologia influencia comportamentos através do mundo digital, pela adoção de hábitos, muitos deles inadequados desde os primeiros anos da infância.

Os principais problemas ligados ao uso excessivo da tecnologia por crianças e adolescentes, estão o aumento da ansiedade, a dificuldade de estabelecer relações em sociedade, o estímulo à sexualização precoce, a adesão ao cyberbullying, o comportamento violento ou agressivo, os transtornos de sono e de alimentação, o baixo rendimento escolar, as lesões por esforço repetitivo e a exposição precoce a drogas, entre outros.

E porque as crianças são tão vulneráveis as tecnologias? Nosso cérebro se remodela baseado em nossas experiências, a isso chamamos de plasticidade cerebral. A infância é o período onde possuímos a maior plasticidade cerebral. A invasão tecnológica influencia nossas experiências. Nos últimos 50 anos houve um aumento do uso de tecnologias pelas crianças, modificando a maneira que as crianças aprendem, se comportam e se relacionam com o meio.

Preocupado com estes fatos a SBP (sociedade brasileira de pediatria) elaborou algumas recomendações de utilização de mídias:

- Tempo de exposição: Maiores de 2 anos: não mais que 1-2 horas diárias de TV. Menores de 2 anos: não expor a TV

- Sem mídia no quarto

- Monitorizar e discutir conteúdo

- Crianças menores de 6 anos precisam ser mais protegidas da violência virtual, pois não sabem diferenciar o real do imaginário.

- Jogos online com cenas de tiroteios com mortes /desastres, que ganhem pontos de recompensa como tema principal, não são apropriados em qualquer idade.

- Estabelecer regras e limites bem claros sobre o tempo de duração em jogos por dia ou no final de semana e sobre a entrada e permanência em salas de bate-papo, redes sociais ou durante jogos de videogames online;

- Recomendar aos seus filhos que nunca forneçam a senha virtual a quem quer que seja, nem aceitem brindes, prêmios ou presentes oferecidos pela Internet, assim como também jamais ceder a qualquer tipo de chantagem, ameaça ou pressão de colegas ou de qualquer pessoa online.

A criança precisa de estímulos para se desenvolver e a tecnologia tem um impacto importante nos dias atuais. Enquanto algumas formas de tecnologia trazem benefícios, outras podem ser prejudiciais. Lembrar sempre que você como adulto, pai ou mãe, a convivência diária, se torna um modelo de referência para seus filhos. Portanto dar o primeiro exemplo: limite o seu tempo de trabalho no computador, quando em casa, desconectar e estar presencialmente com seus filhos.

Dra. Bárbara Sawitzki Jost Médica – CRMRS 16580

Especialista em Neurologia Pediátrica- RQE-16849

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708