Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. José Aires Maggi Coelho

A fibromialgia e os transtornos psiquiátricos


Há uma ligação significativa entre a fibromialgia e os transtornos psiquiátricos. A fibromialgia é caracterizada por dor e rigidez dos tecidos moles, como músculos, ligamentos e tendões. Existem áreas (pontos) com maior sensibilidade à dor, conhecidos como “pontos de ativação”. Dentre os transtornos psiquiátricos relacionados, estão a Depressão, o Transtorno de Pânico, o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) e o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).

O início da doença psiquiátrica costuma ocorrer mais de um ano antes do início da fibromialgia. Há também comorbidade relevante entre pacientes com fibromialgia e problemas reumatológicos, como artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico e outras.

A origem da fibromialgia ainda não está clara. Contudo, ela costuma ser precipitada por estresse, tensão emocional e quadros relacionados à ansiedade.

O diagnóstico de fibromialgia é feito excluindo-se doenças reumáticas, como hipotireoidismo, por exemplo. Os pacientes devem ter dor espalhada, por pelo menos três meses, em pontos frágeis e dolosos quando são palpados. O diagnóstico de doença psiquiátrica concomitante ao problema define e completa o tratamento.

Os sintomas dessa doença são quase sempre mais amplos, não seria apenas a dor, mas incluem também reclamações de fadiga, fraqueza muscular, perturbação do sono e debilidade de certos domínios cognitivos, como a concentração, etc.

Existem diversos sintomas somáticos associados à fibromialgia. Dentre eles, a dor muscular, a síndrome do intestino irritável, a fadiga, o cansaço, a fraqueza muscular, a dor de cabeça, a dor abdominal, os formigamentos, as tonturas, a insônia, as náuseas, a dor no peito, a diarreia, a boca seca, a coceira, os vômitos, a perda de apetite, a perda de cabelo, etc.

O tratamento envolve diversos medicamentos psicotrópicos, especialmente antidepressivos (duloxetina, por exemplo) e ansiolíticos. Tratamentos não farmacológicos normalmente incluem exercícios e programas de reabilitação. A massagem dos pontos de ativação também pode ser útil.

A psicoterapia ajuda os pacientes a compreender a natureza do distúrbio, além de ajudá-los a identificar e lidar com estressores psicossociais. O tratamento psiquiátrico é fundamental no manejo dos medicamentos psicotrópicos e no diagnóstico de transtornos mentais associados à fibromialgia.

Dr. José Aires Maggi Coelho Médico Psiquiatra

CRM-SC 12.189 | RQE 17.439 jose.aires@injq.com.br

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca

INSTITUTO DE NEUROCIÊNCIAS DR. JOÃO QUEVEDO

NEUROCIÊNCIA, PSIQUIATRIA E ENSINO PARA VIVER MELHOR

Ligue  0800-006-2307 | contato@injq.com.br

 

PSIQUIATRIA | NEUROLOGIA | DEPENDÊNCIA QUÍMICA  

CONSULTAS | ATENDIMENTO DOMICILIAR | INTERNAÇÃO

CRIANÇAS E ADOLESCENTES | ADULTOS | IDOSOS

  • Instagram Instituto João Quevedo
  • Facebook Instituto João Quevedo

Acompanhe as novidades

nas mídias sociais.

Diretora Técnica Médica (Criciúma):

Drª. Kelen Cancellier Cechinel Recco

CRM-SC 13.394 | RQE 10.277

Diretora Técnica Médica (Araranguá):

Drª. Ritele Hernandez da Silva

CRM-SC 11.444 | RQE 11.334

Diretor Técnico Médico (Turvo):

Dr. Rafael Arceno

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708