Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. José Aires Maggi Coelho

Benefícios (e efeitos colaterais) da Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)

Uma prática segura e de primeira linha no combate à depressão resistente, a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é uma ótima opção de tratamento, com efeitos colaterais leves e aplicação não invasiva.



O que é a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)?


A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) - ou TMS, do inglês Transcranial Magnetic Stimulation - é uma técnica de “neuromodulação não invasiva”, ou seja, uma estimulação neural causada pela indução de uma corrente elétrica em um campo magnético controlado que acessa uma área desejada do cérebro do paciente que precisa do estímulo desejado.


O procedimento vem sendo utilizado no repertório terapêutico dos pacientes com depressão, mostrando benefícios comprovados em estudos no mundo inteiro. O uso foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos em 2008.


Numerosos estudos mostraram que o Transtorno Depressivo Maior (TDM) normalmente requer mais de uma etapa de tratamento para alcançar a remissão dos sintomas. Mesmo utilizando a terapêutica adequada, entre 50% e 85% dos casos são recorrentes e 20% ainda se tornam crônicos.


Nesses casos, são utilizadas intervenções como aumento de doses e a troca ou combinação de antidepressivos (associados ou não à psicoterapia), para tentar resolver os casos resistentes ou refratários.


Nesses pacientes, a EMT surge trazendo efeitos antidepressivos benéficos e com eficácia comprovada.


Como funciona a ETM?


A neuromodulação utiliza uma corrente elétrica induzida por um campo magnético. A Estimulação Magnética Transcraniana envolve a colocação de um pequeno eletroímã no couro cabeludo, com o paciente acordado, sem necessidade de anestesia.


Isso faz com que os neurônios do córtex cerebral se despolarizem, produzindo oscilações rápidas no campo magnético geradas pela corrente, estimulando ou inibindo determinados locais e ativando as células neuronais que não funcionam.


Os pulsos magnéticos têm intensidade e dose correta, as quais são personalizadas de acordo com cada paciente. As sessões são individualizadas, de aplicação rápida e com duração média de 40 minutos. Depois de cada sessão, o paciente pode retornar às suas atividades diárias normais.


Quais as principais indicações da ETM?


Os pesquisadores avaliaram estudos sobre a eficácia terapêutica do procedimento em casos de dor, algumas doenças neurológicas e desordens psiquiátricas, tais como:


  • depressão

  • transtornos de ansiedade

  • transtorno obsessivo-compulsivo

  • esquizofrenia

  • dependência química

  • transtornos conversivos


A ETM é indicada principalmente para o tratamento da depressão, nos pacientes que não toleram os efeitos colaterais dos medicamentos, para acelerar a resposta a um antidepressivo, e na esquizofrenia com sintomas psicóticos (alucinações auditivas).


A EMT é considerada um tratamento de primeira linha para depressão naqueles pacientes que falharam em pelo menos um tratamento antidepressivo.


Quais os efeitos colaterais comuns da ETM?


A Estimulação Magnética Transcraniana (ETM) é um procedimento seguro, quase isento de efeitos adversos. Os efeitos colaterais são geralmente leves:


  • dor de cabeça

  • desconforto no couro cabeludo no local da estimulação

  • formigamento

  • tontura


Esses sintomas costumam melhorar logo após a sessão, havendo diminuição deles à medida que novas sessões vão sendo realizadas.


Quais os resultados da ETM?


O principal resultado da ETM é a melhora ou até o desaparecimento completo dos sintomas de depressão.


O procedimento precisa ser monitorado por médico treinado, capacitado para indicar o tratamento adequado para cada doença.


Converse com seu médico especialista.




José Aires Maggi Coelho

Médico Psiquiatra

CRM-SC 12.189 | RQE 17.439

Destaques
Mais Recentes