Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. José Aires Maggi Coelho

Dependência química causa risco de suicídio

A dependência química e o abuso de drogas, álcool e cigarros estão fortemente ligados à ideação, ao planejamento e ao ato consumado do suicídio, que está entre as principais causas de mortalidade no mundo.



Existem vários estudos baseados na relação entre o uso de substâncias e o suicídio. Em média, 22,4% dos casos de suicídio ocorreram devido ao uso de drogas.


As pessoas com depressão estão mais propensas ao uso de drogas, levando à desinibição, impulsividade e agressividade, os quais, por sua vez, acabam aumentando o risco de suicídio.


Ciclo da dependência química


A dependência química caracteriza-se por um padrão de consumo compulsivo da substância psicoativa (sejam drogas, álcool, dentre outros).


Pelo menos três dos seguintes critérios estão presentes:


  1. compulsão para o consumo

  2. aumento da tolerância

  3. síndrome de abstinência

  4. evitação da abstinência pelo aumento do consumo

  5. relevância do consumo (coloca o uso como prioridade)

  6. estreitamento ou empobrecimento do repertório (procura a droga em local fácil de conseguir)

  7. recaídas


Por que as drogas podem levar ao suicídio?


As drogas podem produzir piora na adesão e na resposta dos medicamentos, no caso de pacientes que estão em tratamento, aumento da impulsividade e piora dos sintomas depressivos. Depressão e abuso de drogas se combinam em um ciclo vicioso que, em muitas vezes, levam ao suicídio.


Os indivíduos recorrem às drogas, álcool, jogos de azar e outros comportamentos de risco para mascarar o sofrimento e os pensamentos de desvalia, negativos, de ruína.


No entanto, o abuso e a dependência de substâncias aumentam a gravidade e a duração dos episódios depressivos, apesar de qualquer alívio temporário que eles possam proporcionar, aumentando muito a probabilidade de pensamentos suicidas.


Isso é exacerbado pelo fato de que o vício prejudica ou destrói as relações familiares, profissionais, pessoais e financeiras, aumentando ainda mais o risco de suicídio, além de afetar o juízo crítico e a cognição.


Sinais de alerta


Alguns sinais de alerta importantes devem ser avaliados, dentre eles, seguem alguns exemplos:


  • histórico de suicídio na família

  • isolamento social

  • perdas financeiras

  • perda de algum “status” social

  • falecimento do cônjuge

  • afastamento dos amigos e familiares


Assim, é importante buscar ajuda profissional no sentido de restringir o consumo de drogas, principalmente naqueles pacientes em risco, com ideias, planos e ou comportamento suicida.


Setembro Amarelo - Falar é a melhor solução.



José Aires Maggi Coelho

Médico Psiquiatra

CRM-SC 12.189 | RQE 17.439

Destaques
Mais Recentes