Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. Rafael Arceno

Insônia causa depressão ou é consequência dela?

A depressão e os distúrbios do sono (como a insônia) estão intimamente ligados por questões genéticas e de hábitos diários, especialmente envolvendo o nosso ciclo circadiano.



O Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), a principal referência da psiquiatria mundial, caracteriza a depressão como a combinação do humor deprimido e/ou anedonia (dificuldade de uma pessoa em sentir prazer ou se motivar a realizar atividades que antes eram prazerosas) com outros sintomas emocionais e físicos, como alterações no sono, mudança de peso e/ou apetite, falta de energia, dentre outros.


Ciclo circadiano


Cada pessoa tem ritmo e necessidades únicas, mas, de maneira geral, as funções biológicas e comportamentais do ser humano são reguladas pelo ciclo circadiano (o "relógio biológico" diário de uma pessoa).


Esse ciclo é influenciado por fatores endógenos (como a genética e hormônios) e exógenos (incidência da luz e temperatura). Dessa forma, quando esses mecanismos trabalham corretamente e em equilíbrio, o corpo mantém a homeostase (a estabilidade das funções regulares do corpo).


Porém, quando há desregulação de alguma dessas peças, a resposta são:


  • alteração do sono;

  • apetite;

  • humor;

  • comportamento.


Por exemplo, pessoas que trabalham sem horários certos, em plantões por exemplo (como enfermeiras, policiais, seguranças, etc.), possuem maior risco de desenvolverem depressão.


Pessoas que vivem em locais do planeta com pouca ou nenhuma mudança de incidência de luz solar também têm maior risco de depressão.


Distúrbios do sono


O número de pessoas afetadas com o transtorno depressivo (e a gravidade dos sintomas dele) se relaciona com os distúrbios do sono, como a insônia. Hoje eles são as principais manifestações secundárias em pacientes depressivos.


Em alguns estudos, os distúrbios de sono são indicados como fatores de risco para o desenvolvimento do transtorno depressivo, em outros, como anunciadores de um potencial desenvolvimento de depressão. Por isso, acredita-se que haja uma relação de “mão dupla” entre eles.


Assim, parece haver efeito em cascata: problemas do sono (resultantes da genética ou de situações de privação de sono) podem levar à diminuição da capacidade emocional, de atenção e de memória por meio da desregulação hormonal e inflamatória, e as alterações vistas na depressão (também associadas aos hormônios, à resposta imune e de neurotransmissores) podem impactar na expressão dos genes responsáveis pelo relógio biológico.


Portanto, mesmo sem a total compreensão, a relação entre insônia e depressão nos diz que elas estão intimamente associadas.


Busque apoio profissional


Por isso, buscar um profissional capacitado para avaliação de mudanças de sono e comportamento é imprescindível para identificação de transtornos mentais (como a depressão) e seu tratamento adequado.


É a melhor maneira de encontrar qualidade de vida na terapia para distúrbios do sono. Tenha sempre um profissional capacitado para auxiliar nessa caminhada. Cuide de sua saúde mental.




Rafael Arceno

Médico Psiquiatra

Diretor Técnico Médico da unidade InJQ de Turvo (SC)

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708


Colaboração: Maria Eduarda Mendes Botelho

Destaques
Mais Recentes