Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. Roberto Alves de Oliveira

Mindfulness: benefícios científicos da técnica de atenção plena

Conheça os benefícios científicos na saúde mental da prática Mindfulness, o estado de consciência quando se dá atenção plena às próprias experiências, no momento presente, sem julgamentos e com aceitação.



O sofrimento psicológico, cada vez mais prevalente na população global, se apresenta de diversas formas, entre elas a ruminação (julgamento excessivo das situações vividas e que resulta em sensações como tristeza, culpa e desânimo), a ansiedade, a preocupação demasiada e a raiva, desenvolvidas, muitas vezes, como reação à má adaptação a eventos angustiantes.


O enfrentamento e a prevenção dessa condição podem acontecer por meio de um método antigo, mas nada ultrapassado: o mindfulness, também conhecido como "atenção plena" ou "consciência plena".


A prática mindfulness é usada há mais de 2.550 anos como parte de tradições espirituais, especialmente a budista. Foi aplicada à esfera secular, como alternativa no tratamento do sofrimento psíquico, desde a década de 1970, com algumas adaptações para o contexto científico-ocidental.


Então, a prática mindfulness é compreendida como a consciência quando se dá atenção às próprias experiências, no momento presente, sem julgamentos e com aceitação.


A literatura demonstra que a técnica mindfulness é capaz de melhorar a qualidade de vida de muitos indivíduos, sendo benéfica na redução de:


  • estresse;

  • ansiedade;

  • reincidência de episódios depressivos;

  • insônia;

  • dor crônica;

  • dependência de substâncias (como o tabagismo e uso de drogas ilícitas);

  • transtornos alimentares;

  • autolesão;

  • impulsividade;

  • e pensamento suicida.


Os mecanismos biológicos envolvidos nessas respostas são potencialmente relacionados a um efeito anti-inflamatório, da redução do cortisol (hormônio do estresse), da alteração na massa cerebral e dos níveis de neurotransmissores.


Há vários graus de evidência de pesquisa que dão suporte para o uso da atenção plena mindfulness, ou da psicoterapia com a atenção plena. Pode ser um tratamento único ou em associação aos psicofármacos para transtornos mentais. A indicação e efetividade são individualizadas, por isso, em caso de sofrimento mental, o acompanhamento com um profissional qualificado é indispensável.


Referências científicas



Roberto Alves

Médico Psiquiatra

CRM-SC 19.746 | RQE 17.272


Colaboração: Maria Eduarda Mendes Botelho

Destaques
Mais Recentes
Biblioteca