Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. Gustavo Feier

Será que é "só Ansiedade"?

O Brasil é o país mais ansioso do mundo, e a principal causa de afastamentos de funções, mas o que é e como surge a ansiedade? E será que os sintomas são apenas de ansiedade ou estão ocultando outro problema ainda mais sério?



Como surge a Ansiedade?


Para cada estímulo e necessidade, o organismo responde de uma maneira. Quando exposto a situações de medo, por exemplo, o sistema nervoso autônomo (responsável por regular o funcionamento dos órgãos) ativa a função simpática.


Essa função libera hormônios e neurotransmissores capazes de, dentre tantas coisas, acelerar os batimentos cardíacos, aumentar a frequência respiratória e deixar o cérebro em estado de alerta, para que assim fique protegido, preparado para fugir ou agir diante de algum evento.


Em momentos em que se espera esse estresse, o corpo, mesmo antes do acontecido, já parece se preparar, trazendo esse tipo de reação central, além de pensamentos de preocupação e desconforto.


Em certas situações, tais respostas são naturais, saudáveis e esperadas, sendo parte do sistema de defesa do ser humano. Entretanto, quando se torna frequente e exagerado, isso traz um alerta: um possível transtorno ansioso.


Ansiedade no Brasil


A ansiedade pode se apresentar em crises esporádicas que levam ao desconforto extremo, em medos desproporcionais, pensamentos e impulsos involuntários, preocupação excessiva e persistente.


Quando ela se torna difícil de controlar e traz sofrimento ou prejuízo significativo, esse é o momento que se deve buscar assistência profissional para tratar o quadro, se ainda não o fez.


Infelizmente, a ansiedade é um grande problema da saúde pública, especialmente no Brasil. Desde 2017, o Brasil é considerado o país mais ansioso do mundo, e onde a ansiedade é uma das principais causas de afastamento de indivíduos das suas funções.


Ansiedade na Pandemia


Desde o início da pandemia, esse fato sobre a ansiedade se agravou, piorando os quadros já existentes e originando novos.


Alguns fatores são considerados riscos para o transtorno de ansiedade, tais como condições de vida que trazem mais insegurança (a pobreza, por exemplo), doenças crônicas (mentais, cardiovasculares, neurológicas, etc.) e adversidades desde a infância.


Outros fatores são considerados protetores, por interferirem em algum ponto no desenvolvimento do transtorno, como a prática de atividade física e uma alimentação balanceada, por regularem hormônios e neurotransmissores que tendem estar alterados na ansiedade, além de auxiliarem na melhor circulação de oxigênio pelo corpo.


Diagnóstico de Ansiedade


Apesar de parecer comum, o transtorno de ansiedade é uma condição que requer atenção e tratamento. Por isso, buscar auxílio de um médico profissional é imprescindível para o diagnóstico correto, que por muitas vezes pode estar associado a outro transtorno mental.


Um profissional médico também é importante para auxiliar na escolha da terapia mais indicada, para que assim se conquiste uma melhor qualidade de vida, por muitas vezes nem imaginada que se poderia ter.


Referências


​​


Gustavo Feier

Médico Psiquiatra

CRM-SC 14.317 | RQE 18.994


Colaboração: Maria Eduarda Mendes Botelho

Destaques