Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. João Luciano de Quevedo

Teste Farmacogenético: o que é e como funciona?

O Teste Farmacogenético é um exame que possibilita identificar fatores genéticos de um paciente e com o qual se possa indicar o melhor medicamento psicofármaco para um tratamento personalizado, ou seja, a dose mais adequada, com menos efeitos colaterais e a resposta mais rápida possível.



Há algumas décadas, o número de pessoas diagnosticadas com algum transtorno mental vem aumentando, especialmente em países em desenvolvimento como o Brasil. A depressão, por exemplo, é sozinha considerada a principal causa de incapacidade em todo globo.


Atualmente, as terapias para os transtornos mentais possuem resposta com grande variação entre os indivíduos. Alguns conhecem os benefícios desde a primeira tentativa, enquanto outros são considerados resistentes aos tratamentos, pois as tentativas feitas acabam surtindo pouco ou nenhum efeito.



Efeitos colaterais de medicamentos


É comum que os pacientes relatem início de algum efeito colateral (reações adversas) após o início das medicações, tais como, dentre outros:


  • mudança na consistência das fezes e frequência de evacuação;

  • alteração de peso corporal;

  • náusea;

  • dores de cabeça;

  • diminuição da libido;

  • tremores.


Alguns efeitos colaterais são extremamente incômodos em alguns casos, sendo motivo para descontinuar os fármacos.


Fatores de variabilidade


Tanta variabilidade nas respostas benéficas e sobre as reações adversas são explicadas por múltiplos fatores, como:


  • sexo biológico;

  • porcentagem de gordura corporal;

  • gravidez;

  • interação com outras medicações utilizadas;

  • atividade do fígado;

  • atividade do rim;

  • genética.


A identificação dos fatores envolvidos na genética pode auxiliar na criação de um tratamento personalizado único, individual. Para isso, existe o teste farmacogenético.



Como funciona o Teste Farmacogenético


O Teste Farmacogenético é um exame que permite identificar as particularidades presentes no genoma do indivíduo que interferem nas propriedades farmacológicas de um medicamento.


São observadas as variantes que impactam nas seguintes etapas:


  1. o metabolismo das drogas/medicamentos;

  2. o transporte delas;

  3. local onde elas se ligam para terem ação;

  4. as moléculas envolvidas em todas essas etapas;

  5. as alterações do organismo com as substâncias e o transtorno.


Benefícios do Teste Farmacogenético


O Teste Farmacogenético pode identificar os fatores genéticos relacionados à resposta dos psicofármacos, trazendo mais segurança aos pacientes.


Isso acontece porque ele permite escolher um medicamento com menos efeitos adversos para aquele corpo.


Além disso, ele aumenta a possibilidade de sucesso na escolha da dose mais adequada, para que haja a melhora clínica do paciente o mais rápido possível.


Tudo isso também ajuda a evitar a utilização de muitos medicamentos juntos (a tal da polifarmácia).



Em que casos o Teste Farmacogenético é indicado?


É um teste simples, também utilizado em outras áreas, como na oncologia, cardiologia e infectologia. Na psiquiatria, o Teste Farmacogenético pode ser aliado na busca do tratamento para:


  • bipolaridade;

  • ansiedade;

  • depressão;

  • pânico;

  • insônia;

  • dor crônica;

  • outros transtornos.


Nem sempre a não resposta à medicação está na genética. Por isso, como em qualquer outro manejo médico, é importante buscar assistência de um profissional médico especializado para saber se o caso é indicado para o teste farmacogenético.


João Luciano de Quevedo

Médico Psiquiatra - Doutor em Ciências Biológicas

CRM-SC 9.060 | RQE 5.058

Coordenador do Programa de Psiquiatria Translacional e Diretor da Clínica de Depressão Resistente ao Tratamento da Universidade do Texas (UTHealth), EUA.


Colaboração: Maria Eduarda Mendes Botelho

Destaques
Mais Recentes