Blog do InJQ

Buscar
  • Dr. Rafael Arceno

Transtorno Bipolar: de Van Gogh a Demi Lovato

O Transtorno Bipolar tem afetado muitas pessoas ao longo da história e até atualmente. No Brasil, ele afeta mais de 6 milhões de pessoas e precisa de atenção em saúde mental. Famosos assumem a doença para combater o preconceito.



Dia 30 de março é o Dia Mundial do Transtorno Bipolar (TB). A data foi escolhida por ser também aniversário de Vincent Van Gogh, artista impressionista holandês, que viveu de 1853 a 1890 e ficou conhecido principalmente por suas pinturas marcantes, de cores fortes e carregadas de melancolia.


Alguns pesquisadores buscaram explicações médicas para os comportamentos relatados do pintor e, apesar de ser considerado impossível chegar a um diagnóstico póstumo definitivo, acreditam que ele tenha sido bipolar.


Segundo a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar, 6 milhões de pessoas no Brasil enfrentam essa condição psiquiátrica. Maurício Mattar, Rita Lee, Demi Lovato e Mariah Carey já compartilharam serem bipolar, a fim de contribuírem para diminuir os estigmas e preconceito acerca do tema.


O TB é caracterizado por mudanças importantes de humor, energia, comportamento, sono e cognição, que geralmente oscilam entre episódios de humor elevado e épocas de depressão.


Normalmente, o humor de início do transtorno é a depressão, mas antes da instalação dele, algumas vezes sinais e sintomas prodrômicos podem aparecer, ou seja, alterações que iniciam antes do surgimento dos sintomas específicos, no caso, irritabilidade, ansiedade, distúrbios do sono, instabilidade de humor são comuns.


O tratamento é crônico. Os efeitos começam a ser vistos semanas a meses após a intervenção, por isso, o que foi indicado pelo especialista deve ser usado continuamente, não somente quando há mudança de humor perceptível.


Alguns casos infelizmente não respondem bem às medicações comuns, assim, esses podem ser avaliados para a eletroconvulsoterapia. Outras pesquisas estão sendo realizadas para o tratamento de TB resistente, como a que busca usar células tronco para o tratamento, já apresentada no blog.


Os especialistas dizem que Van Gogh desenvolveu quadros de psicose, com delírios, alucinações e pensamentos desorganizados, por combinar o consumo excessivo de álcool, maus hábitos alimentares e más relações, o que culminou num fim de vida trágico.


Dessa forma, para ter melhores resultados, o diagnóstico precoce e a adesão ao tratamento são bastante importantes, juntamente com mudanças no estilo de vida, como cessar o uso de substâncias que podem piorar o quadro, como álcool e drogas psicoativas, além de iniciar hábitos mais saudáveis de alimentação e sono.


Buscar conhecer a verdade sobre o TB pode mudar o rumo de muitas vidas.

Rafael Arceno

Médico Psiquiatra

CRM-SC 18.994 | RQE 14.708


Colaboração: Maria Eduarda Mendes Botelho

Destaques
Mais Recentes